terça-feira, 18 de novembro de 2008

QUASE OU TALVEZ NUNCA


Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez, é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas ideias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no Outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto.
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na moleza dos abraços, na indiferença do "Bom dia", quase que sussurrados.
Sobra a cobardia e a falta de coragem até para ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.
Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos sómente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Para os erros há perdão; para os fracassos, chance; para os amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar a alma.
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixes que a saudade te sufoque, que a rotina te acomode, que o medo impeça de tentares.
Desconfia do destino e acredita em ti.
Gasta mais horas a realizar que a sonhar, a fazer que planeando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
(autor desconhecido)

Para "aquela pessoa", que tem perdido tempo em me enviar comentários anónimos, que quase consegue passar por uma boa pessoa, que quase consegue parecer humana, que quase consegue ser digna e honrada, para essa pessoa quase que lhe desejo, que seja feliz. Quase que me consegue deixar de bom humor, assim como ás minhas filhas, mas aquilo que vem bem de baixo, jamais nos consegue atingir.

Para todos os amigos em especial para aquele meu "quase", que muitos de vós já sabeis um beijo grande e cheio de carinho da sempre vossa amiga. PAULITA.

6 comentários:

luis disse...

PAULITA, LINDA...

EU TE AMO

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás só fazendo de conta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Chico Buarque

luis disse...

Lindo!
"Amar:

Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada nasceram sussurros
e palavras mudas que te dediquei...

O amor é quando a gente mora um no outro".
Mário Quintana

luis disse...

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

Pablo Neruda

luis disse...

PROCURA DE AMOR


Corpos entrelaçados,

Molhados,

Rolando na areia



Corpos sedosos,

Dançando,

Frenéticos

Felizes



Corpos colados,

Suados,

Sedentos de amor



Meu corpo no teu,

Teu corpo no meu

Fundidos num só.



Procura de amor

Presente da vida

Destinos traçados...

Em corpos molhados

Sedentos de amor



Procura de amor

Á luz do luar,

De corpos colados,

Suados, molhados,

Sedentos de amor



Corpos,

Molhados, suados,

Fundidos, sedosos,

Frenéticos, colados...

Dançando, rolando,

Sedentos...Ao luar

Otilia Brites

ana disse...

PAULITA:

Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu....

ESTA FRASE ESTÁ DIVINAL!
Bjs aos dois

olga disse...

Paulita, como já tive ocasião de referir a uma amiga comum, mas repito aqui. Foi um enorme prazer conhecê-la, intuir em si esse interior riquissimo e humano que possuí, subvalorizado possivelmente por algumas pessoas, que consigo cruxaram caminho, mas visivelmente brilhante para quem olhar com o coração.
Identifico-a como sendo uma Pérola, e fico feliz por tê-la identificado.
A consolidação da Amizade faz-se com o tempo.
Beijo