domingo, 26 de outubro de 2008

EU SOU O QUE SOU


Me ensinaram que o mundo é perigoso e cheio de armadilhas.
Me disseram que as pessoas com quem me relaciono nem sempre são verdadeiras.
Fui ensinada que os sonhos são utopias e que precisava manter os pés no chão para conseguir o que queria.
Também aprendi que tinha que trabalhar duro para conseguir qualquer coisa material que quisesse e mesmo assim seria difícil.
Cresci acreditando num Deus que punia todas as pessoas que saíssem das regras pré-estabelecidas, que controlava as pessoas por medo.
Tudo me levava a crer que para conquistar o amor das outras pessoas por mim, eu teria que ser boazinha, prestativa, fazer sacrifícios pelos outros, ficar calada, não emitir opiniões e enfim, deixar de ser quem sou.



Hoje nada disso mais faz parte da minha realidade.
Aprendi, a duras penas, que o AMOR conserta tudo.
O AMOR é a plena confiança em si, mesmo sabendo de todas as minhas imperfeições.
Que a criança que fui pode ser agora tratada com segurança, aceitação, amor, carinho e atenção.
Consigo perceber que a aceitação por parte dos outros se baseia na minha aceitação por mim mesma e que quanto mais eu me amo e me aceito, mais atraio para mim pessoas amorosas, seguras e confiáveis.
Todo aquele medo da solidão, de ficar só, vai embora quando eu consigo me encarar de frente e dizer: EU ME ACEITO, EU ME AMO e EU ME SUSTENTO. Este medo vai embora quando eu permito que meu Eu Superior tome a frente das minhas decisões e acções. Aí eu percebo que simplesmente é impossível ficar só, que o meu Ser Inteiro, Integral são muitas “pessoas” numa só.
Para conseguir fazer isso, ou seja, me aceitar, é preciso em primeiro lugar uma decisão muito importante. É preciso que eu me perdoe por tudo que eu me cobro hoje, por minhas imperfeições, por ter ferido outras pessoas, por ter me ferido e deixado de ser quem sou, por não ter tido a coragem de me posicionar em certas situações, e por muitas outras coisas.
O mais importante de tudo é que hoje eu sei que fiz o que eu sabia e conseguia naquele momento e que se hoje eu sei melhor, eu posso fazer melhor e assim por diante.
Hoje eu consigo perceber que posso inclusive, agradecer os momentos difíceis, pois que eles se tornaram a possibilidade de resolver questões profundas que antes não tinha como, ou simplesmente não me incomodava a ponto de fazer algo para mudar. Posso também agradecer ás pessoas que foram o reflexo daquilo que estava dentro de mim e que eu não gostava. Assim eu tinha a possibilidade de mudar e crescer, entendendo também que em outros casos fui a pessoa que refletiu para o outro aquilo que ele/a precisava mudar.
Portanto, hoje eu posso ser quem sou, posso confiar nas pessoas, posso amar e ser amada, pois a base de tudo a segurança, a confiança e o amor estão em mim.
Posso também sonhar com a certeza de que este sonho é e pode se tornar realidade, pois sou o autora da minha própria vida e caminhada neste Universo. Posso inclusive entender que o mundo lá fora é uma ilusão e que a realidade é relativa para cada ser vivente e pensante neste planeta. Entendo e percebo que sou muito mais do que posso enxergar com meus olhos físicos.
A capacidade de amar é minha e EU SOU O QUE SOU.
(por Maria Helena Leite de Moraes)

Obrigado meu querido, foi o retrato mais bonito e real que me fizeram até hoje. Conheces-me bem assim para me enviares este texto, como oferta que quis deixar aqui, como recordação, daquilo que hoje sou mesmo. Sinto-me uma privilegiada com a sorte de ter alguém como tu, na minha vida. Adorei o tempo que passámos hoje juntos. Ajudaste-me muito. Para todos vós um beijo muito especial. Para ti meu querido um beijinho grande, do tamanho do mundo. PAULITA.

2 comentários:

NUNO disse...

És sim miuda. És tu mesma, assim, calma, serena, tranquila e com uma luz que irradiava esse teu geito de menina com que sempre nos habituaste. Conhecer-te fez de mim uma pessoa muito mais responsável, ponderado e principalmente a saber ver que existem amizades pelas quais vale a pena lutar. Ajudaste-me muito, desde que nos conhecemos e tenho a certeza que nunca te desapoiei, em momento algum, por isso é que eu digo, contigo sabemos que tudo fazes sem esperar recompensa nenhuma. És uma amiga impecável. A luz da vida, dos que te chamam amiga. Eu é que para, não variar, prefiro chamar-te MIÚDA. Adoro-te, ontem, hoje e sempre. Beijos.

PAULA CRISTINA disse...

Minha amiga linda... É tão bom voltar a acreditar no amor, não é??? A tua felicidade é a minha alegria... Tudo de bom para ti porque mereces...
Beijinhos.